Como você pode ajudar a escrever um livro sobre Cachaça (e nossas dicas de leitura)

Tempo de leitura: 3 minutos

como

Como você pode ajudar a a escrever um bom livro sobre cachaça? Às vésperas do dia 13 de setembro, data em que se comemora o Dia Nacional da Cachaça, uma certeza ronda nosso mercado. Há espaço para muitas outras publicações a respeito de nossa branquinha. Mas quanto custa publicar um livro? A resposta a esta pergunta depende de uma série de fatores e a maioria deles passa, inevitavelmente, pela visão de negócios da editora que vai publicar. É preciso levar em contar itens como foco de interesse, público alvo, ineditismo de pesquisa e valores agregados nas publicações, entre outras considerações relevantes. Como o custo final é o fator mais determinante, muitos escritores e pesquisadores acabam desistindo na metade do caminho.

Mas e se o leitor não for exatamente brasileiro?

Há, neste momento, um escritor tentando responder a esta pergunta. Stijn Hiers é jornalista e autor de outras publicações sobre uísque. Casado com uma brasileira de Pato de Minas, apaixonou-se pela Cachaça e se tornou embaixador da marca Sapucaia na Holanda. Hiers observou que em seu país, pouco se sabe sobre a Cachaça de alambique. “A maioria aqui conhece mais as cachaças industriais, assim como em quase toda Europa”, afirma o jornalista. Disposto a mudar este quadro, Hiers iniciou uma pesquisa para colocar o máximo de informações sobre nossa branquinha no livro Cachaça – De Adem Van de Tijger”, onde contará histórias de alambiques conhecidos por nós, como Sapucaia, Vale Verde, Rio do engenho, Santa Terezinha, Middas, Taverna de Minas, Weber Haus, Sete Engenho, Salinas, Morro Vermelho e Leblon, entre outros. Lá como cá, o problema é o mesmo: dinheiro.

E quem vai pagar pela obra?

Esta é sempre a primeira pergunta que se faz antes de iniciar a pesquisa. Lá como cá, o problema é o mesmo: dinheiro. A solução: criatividade.  Stijn Hiers disponibilizou o projeto em um site de vaquinha coletiva na Holanda e espera arrecadar US$ 2.248 (metade do custo do projeto). A corrida agora é contra o tempo. O jornalista tem até o dia 4 de outubro para arrecadar o montante. Apoadores recebem recompensas ao investirem no projeto. Para os produtores brasileiros a obra do holandês é sem dúvida alguma, uma grande oportunidade de ver a Cachaça de alambique num mercado consumidor que só cresce.

9eef0a7ce9ea8321622d5128f582108a

E por aqui, quais são as obras publicadas?

Poderia haver mais. Mas com o que temos já se pode pavimentar um bom início estrada de informações a respeito do maior de todos os destilados do planeta. No projeto Fórmula da Cachaça, listamos alguns que consideramos de suma importância para o setor. Veja:

E o maior de todos os livros? 

Sim, ele existe. E é grátis! O fórmula da Cachaça se debruçou em estudos para entregar a você que está dando os primeiros passos no maravilhoso universo da Cachaça, um guia especial. O livro é digital, pode ser baixado em seu e-mail e dá uma noção bacana de tudo que cerca o mundo da Cachaça. Baixe e comece agora mesmo a se tornar um especialista!!!

13ae415d3fda123c13caa4af55526c4b

Este post foi útil pra você? Comente conosco e sugira novos assuntos!!!