Como começar uma coleção de Cachaça em 2017 – e por quê

Tempo de leitura: 10 minutos

Como começar uma coleção de Cachaça? Qual o critério adotar? Devo começar com as Cachaças famosas ou pelas Cachaças mais raras? Mas como saber se elas são raras ou se vão ficar um dia?

Muitas são as perguntas que recebemos e como andamos com alguns colecionadores notáveis, resolvemos mergulhar neste assunto para ajudar você a ter a sua própria coleção de Cachaça.

Antes de mais nada é preciso saber que você pode colecionar Cachaça por prazer pessoal ou por investimento, já que há milhares de colecionadores aficionados que pagariam pequenas fortunas por uma raridade.

Neste caso, é preciso conhecimento sobre o mundo da Cachaça e para isso sugerimos a você, que de saída baixe gratuitamente o e-book GUIA DA CACHAÇA, com dicas e informações importantes sobre o fantástico universo da Cachaça. O conhecimento, não tenha dúvida, vai fazer toda diferença.

O Guia também ajudará se a intenção for apenas colecionar Cachaça por um simples hobby ou para mostrar aos seus melhores amigos que você gosta e entende do assunto.

Há muitas formas e motivos para dar o ponta-pé inicial em uma coleção de Cachaça. Conversamos com colecionadores e especialistas e destas conversas fizemos uma lista de 5 dicas imprescindíveis para quem quer entrar neste universo

#Defina o que vai colecionar

Este é um passo importante, já que você vai precisar de espaço e saber o que vai colocar neste espaço é definitivamente a primeira coisa a fazer. Você pode, por exemplo, colecionar apenas as garrafas antigas, estilo Âmbar (aquelas das garrafas de cerveja), ou garrafas maiores, enfim, este planejamento tem que ser feito de acordo com seu espaço e claro, com o dinheiro que você pretende destina a este hobby.

#Defina um lugar para deixar sua coleção

Escolher o tamanho da garrafa ajuda a determinar o local da coleção
Escolher o tamanho da garrafa ajuda a determinar o local da coleção

O lugar para se armazenar o que será colecionado vai fazer toda diferença na hora em que você quiser comercializar sua Cachaça, seja porque você quer comprar outras, seja porque você tem uma garrafa duplicada ou simplesmente porque você quer aproveitar a valorização do produto.

Lembre-se que quanto mais conservada estiver a garrafa, mais valor de mercado ela terá, então nada de deixar suas relíquias ao relento, sem a proteção contra os raios solares e expostas à ação do tempo.

#Consulte especialistas

Giovani Moser, colecionador e especialista em Cachaça
Giovani Moser, colecionador e especialista em Cachaça

Um amigo especialista poderá te ajudar a tirar dúvidas, mas atenção para esta dica importante: você está falando com colecionadores que vendem e trocam produtos e estas pessoas dão muito valor a informações.

Neste caso, tenha sempre alguma coisa nova para falar e isso envolve seguir a risca todas as dicas colocadas aqui.

Dois especialistas que recomendamos de olhos fechados são Giovani Moser, da cidade de Bombinhas, em Santa Catarinacolecionador e especialista, Giovani tem visão apurada para detectar uma boa Cachaça colecionável.

O outro é Sebastião Soares, proprietário do Restaurante Roda D’água, que abriga uma das maiores coleções particulares de Cachaça, aberta a visitação. Além de bom papo e muita Cachaça para conhecer (são mais de 3 mil rótulos), o local ainda oferece uma excelente comida!

#Consulte sites de leilões

Havana no Mercado Municipal de São Paulo: vale ouro
Havana no Mercado Municipal de São Paulo: vale ouro

Não é raro vermos ofertas de grandes rótulos de Cachaça em sites de leilão e isso pode ocorrer por motivos que vão desde a falência de um estabelecimento até o desejo de um colecionador em vender suas relíquias. Mas atenção, comprar estas Cachaças requer cuidado, portanto, lembre-se sempre de consultar aquele seu amigo colecionador mais experiente.

#Frequente comunidades de colecionadores e apreciadores

Comunidade exclusiva do Escola da Cachaça: troca de informações
Comunidade exclusiva do Escola da Cachaça: troca de informações

Esta é uma dica que nos mesmos seguimos aqui. É nas comunidades que aparecem as discussões esclarecedoras sobre a autenticidade de uma Cachaça ou sobre ofertas de alguma raridade, ou ainda como identificar estas raridades.

No curso Escola da Cachaça, formamos comunidades exclusivas frequentadas somente por alunos do curso e ao se inscrever para receber as aulas, você já está automaticamente na comunidade exclusiva e recebendo informações, portanto, se a sua intenção é ter uma coleção de artigos genuínos, frequentar uma comunidade exclusiva é fundamental.

#Aprenda a detectar uma Cachaça colecionável

Este é um processo simples de se fazer, mas requer conhecimento e é sempre bom seguir as dicas de quem já está no mercado há mais tempo. Sem isso os riscos de errar são evidentes e como  neste caso errar quer dizer jogar dinheiro fora, listamos aqui 10 Cachaças que você pode ter como ponto de partida na hora de iniciar a sua coleção.

#1 – Maria da Cruz

Cachaça Maria da Cruz
Cachaça Maria da Cruz

Em 2013 a família do ex-vice-presidente da República, José Alencar resolveu arrendar parte da fazenda Cantagalo na cidade Pedras de Maria da Cruz, no norte de Minas Gerais, a um consórcio entre empresas americanas e britânicas. A cana-de-açúcar deu lugar ao milho e ao feijão, restando à Cachaça ter sua produção finalizada.

O ato provocou uma correria às lojas especializadas e quem conseguiu guardar algum exemplar hoje vende a peso de ouro.

#2 – Havana/Anísio Santiago 

Cachaça Havana antiga
Havana com rótulo antigo: uma pequena fortuna

Desde os anos 50 a família do tropeiro Anísio Santiago produz as lendárias Havana e Anísio Santiago. Esta última foi o nome dado à Cachaça envelhecida por 10 anos em tonéis de bálsamo, depois que uma empresa cubana resolveu reivindicar a marca para ela.

A briga judicial se arrastou por décadas e neste período o proprietário trocou o nome da Havana por Anísio Santiago. Quando ganhou a causa tinha então duas marcas e hoje quem conservou a Havana dos anos 80 pode vender por uma pequena fortuna. Em uma loja do Mercado Municipal de São Paulo um exemplar da antiguidade está a venda por mais de R$ 25 mil.

#3 – Caninha Pelé

Caninha Pelé: restaram apenas 5 ou 6 exemplares

No auge da fama, Edson Arantes do Nascimento, o Pelé, atraiu centenas de empresas que queriam colar a marca ao rei dos gramados. Uma delas, a Caninha Pelé, teria feito à revelia do rei, uma marca de Cachaça que levava a foto do jogador.

Ao ver o rosto estampado numa garrafa de Cachaça, Pelé reclamou e pediu para que a produção parasse imediatamente. Hoje em dia, de acordo com colecionadores e especialistas, há apenas 25 exemplares da Cachaça, quem tem só vende se for para os muito abastados.

#4 – Cachaça Patativa

Foi produzida por muito tempo na região do Crato no Ceará e era tia como o único produto que pagava direitos de imagem à família do poeta Patativa do Assaré, que encantou o sertão com sua poesia simples e harmoniosa. Com o encerramento da produção, quem achar é como se estivesse encontrado ouro em estado líquido.

#5 – Cavalinho Carvalho

Rótulo da Caninha Cavalinho Carvalho: relíquia
Rótulo da Caninha Cavalinho Carvalho: relíquia

Durante alguns anos da década de 60, produtores da Cachaça Cavalinho engarrafavam algumas unidades da Cachaça envelhecida em tonéis de Carvalho e distribuíam entre amigos e clientes especiais.

Não há muitos exemplares desta garrafa no mercado e a raridade pode alavancar qualquer coleção.

#6 – Middas Reserva do Proprietário

Middas Reserva do Proprietário (Apenas 1.000 garrafas numeradas e assinadas)
Middas Reserva do Proprietário (Apenas 1.000 garrafas numeradas e assinadas)

A Middas Reserva do Proprietário tem uma concepção especial. Vem com os mesmos flocos de ouro comestível de 23 quilates, que tanto encanta os fãs desta Cachaça.

Mas a Middas Reserva do Proprietário surgiu de um desejo dos amigos do empresário Leandro Dias, dono da marca. Eles queriam saber que Cachaça era aquela que eles sempre levava às festas. Leandro resolveu quebrar o segredo fazendo lotes especiais de apenas 1000 garrafas numeradas e assinadas por ele mesmo.

A Middas Reserva do lote 2 tem um blend de Carvalho Francês, Carvalho Americano e um toque de Amburana, todos barris de primeiro uso (o que já é raro de ser usado por produtores brasileiros).

Ainda dá tempo de adquirir algumas garrafas para sua coleção nesse link aqui.

#7 – Weber Haus Lote 48

Cachaça Weber Haus Lote 48
Cachaça Weber Haus Lote 48

A Weber Haus Lote 48 é uma homenagem ao local recebido pela família de Evandro Weber que recém-chegada da Alemanha, começou a trabalhar com a Agricultura. Ao resolver fazer Cachaça trabalharam muito até surgir a Weber Haus, marca de sucesso hoje exportada para

#8 – Cenário

Cachaça Cenário
Cachaça Cenário

 

A Cenário é uma edição especial para celebrar o sucesso de duas famílias que produzem a Velho Alambique na pequena cidade de Santa Tereza, no Rio Grande do Sul. Envelhecida em Carvalho, Grápia e Angico a Cachaça, com edição limitada, está pronta para ir às prateleiras dos colecionadores mais exigentes.

#9 – Tiara de Barra Longa

Cachaça Tiara
Cachaça Tiara

Um lote não muito grande de Cachaças Tiara, com o rótulo antigo está circulando no mercado. Envelhecida em tonéis de Carvalho e Jequitibá, este lote tem uma particularidade especial. Foi salvo momentos antes de a lama da barragem de Mariana atingir a cidade de Barra Longa. Dica ao colecionadores: tem algumas garrafas no restaurante Point dos Caldos em São Paulo.

#10 – Werneck Safira Régia

Cachaça Werneck Safira Régia
Cachaça Werneck Safira Régia

Eli Werneck, um empreendedor nato, que mesmo aposentado, não parou de trabalhar, resolveu trocar o descanso pela missão de deixar um legado para a família. Da missão nasceu a Werneck, em Rio das Flores, no Rio de Janeiro.

Recentemente o empresário lançou um blend de Carvalhos americanos em uma garrafa especial para colecionadores, a Werneck Safira Régia, que vem com uma garrafa especial e duas taças, que também não se encontram com facilidade.

A família já avisou que não vai fazer o segundo lote. “Produzimos apenas 960 garrafas e ainda temos 200 a disposição”, afirma Eli Werneck. Neste caso, o melhor é correr e garantir a sua.

 

Quer saber mais muito mais sobre Cachaça? Então baixe GRÁTIS o GUIA DA CACHAÇA!