EXPORTAÇÃO DE CACHAÇA: PORQUE VOCÊ DEVE INVESTIR NESTE MERCADO ((O MAIS RÁPIDO POSSÍVEL))

Tempo de leitura: 1 minuto

Apenas um por cento dos norte-americanos sabem de fato o que é Cachaça. A afirmação é de Robert Nathanson, importador de Cachaça no Oregon, Estados Unidos. De passagem pelo Brasil, Nathanson foi visitar o estande do Engenho Buriti, de MG, dono de marcas como a Famosinha de Minas e a Ouro 1. Ambas premiadas e de grande aceitação do público americano. A empresa 3G Spirits, dirigida por Robert Nathanson é uma das maiores parceiras dos produtores mineiros e distribui os rótulos mineiros entre os consumidores de lá.

Nathanson afirmou que o mercado do álcool nos EUA movimenta 200 bilhões de dólares todos os anos e que deste total 80 bilhões são distribuídos entre os destilados. Ele afirmou ainda que o setor de “spirits” ou destilados é o que mais cresce neste momento. Sobre a diferença entre as Cachaças de coluna e as de alambique, o empresário diz que como a maioria ainda não conhece Cachaça, não é possível fazer uma avaliação da distinção sensorial. Mas ele garante: quando a pessoa prova uma Cachaça de alambique a tendência é de paixão ao primeiro gole. “80% das pessoas que provam a Cachaça de alambique pela primeira vez, não querem mais saber de outra coisa”

Robert Nathanson também elogiou a versatilidade da Cachaça. Para ele é uma bebida que, pela diversidade de madeiras, oferece mais possibilidades ao consumidor. O empresário lembrou que a branquinha nacional pode ser consumida pura ou num bom drink. Sobre as perspectivas de ampliação nos investimentos, ele responde com um sorriso! Saúde!!!



TUDO O QUE VOCÊ QUERIA SABER SOBRE O FANTÁSTICO MUNDO DA CACHAÇA E NÃO TINHA PRA QUEM PERGUNTAR.