Festival de Cachaça: 5 fortes razões para ir a Monte Alegre do Sul

Tempo de leitura: 4 minutos

Festival de Cachaça: se você precisa de uma boa razão para ir a um, nós vamos te dar.

Aliás, não somente uma, mas cinco.

Hoje o convite é para o Festival de Cachaça do Circuito das Águas, edição de Monte Alegre do Sul.

 

A cidade de menos de 8 mil habitantes é conhecida pela vocação em receber turistas.

Por lei, recebeu o título de estância hidromineral, o que faz dela uma das localidades mais visitadas no circuito das águas.

E se a água é um dos principais ingredientes da Cachaça, então, pedir uma branquinha em Monte Alegre do Sul, é claro, uma ótima ideia.

E neste final de semana a Cachaça da região vai ganhar ainda mais força.

A Prefeitura da cidade vai fazer a sua primeira participação no Festival de Cachaça do Circuito das Águas.

O festival terá o apoio de Paulo Godoy, proprietário do Bar Seo Bastião, um dos 10 melhores bares de São Paulo para se tomar uma boa Cachaça.

 

Paulo foi o organizador do Festival de Cachaça de Amparo, o primeiro do chamado Circuito das Águas.

Nós do Brasil no Copo adoramos um Festival de Cachaça.

E para te ajudar, fizemos aqui uma lista de cinco fortes razões para você se dirigir a Monte Alegre do Sul.

Vamos a elas!

# 1 – Região tem o DNA da Cachaça

Apesar de ter centenas de alambiques espalhados pela cidade, Monte Alegre do Sul não tem muitas marcas com registro no Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento – MAPA.

O que não será problema durante o festival, já que as Cachaças da região que estarão por lá, estão todas registradas.

A cidade, inclusive, estuda uma forma de trazer seus produtores para a legalização.

O projeto Escola da Cachaça preparou duas palestras.

A primeira delas será dada por Leandro Dias, co-fundador da Escola da Cachaça.

Com o tema “Por que legalizar sua cachaça é um bom negócio?”, Leandro mostrará as vantagens do negócio formalizado.

Já a palestra deste autor será um resgate da história.

Com o tema:  “7 Fortes razões para construir uma história com a sua Cachaça”, vou mostrar a importância de se deixar um legado para as gerações futuras.

# 2 – Festival abre portas para curiosidades de Monte Alegre do Sul

Monte Alegre do Sul é um convite a céu aberto para uma série de riquezas do interior de São Paulo.

Uma delas, nós encontramos no alambique da Cachaça Brisa da Serra.

Evandro, o produtor da Cachaça instalou o alambique no meio da loja.

O aparelho virou de cara uma atração turística. Veja como funciona:

# 3 – Conhecer as Cachaças da Região

O alambique da Cachaça Brisa da Serra produz seis rótulos.

E é um dos orgulhos da cidade de Monte Alegre do Sul, quando o assunto é Cachaça produzida de maneira formal.

Mas há outras na região.

 

Em viagens curtíssimas é possível conhecer as premiadíssimas Alma da Serra, da destilaria Hof e a Flor da Montanha, da tradicional família Benedetti.

# 4 – Conhecer os alambiques da Região

Os alambiques das Cachaças Alma da Serra e Flor da Montanha são preparados para receber turistas.

Mas há uma grata surpresa na região que vale uma visita.

O Sítio Torre Annunziata, onde se produz a Cachaça Da Torre.

As visitas devem ser agendadas, vá lá e nos conte!

# 5 – Fazer bons negócios com Cachaça

Se você está botando o pé no negócio de Cachaça, um Festival será, sem dúvida, um ótimo começo.

Você pode comprar Cachaças a preços mais amigáveis.

Pode ainda saber da opinião de consumidores, já que as Cachaças estão em exposição.

Ou pode ainda agendar visitas para depois do Festival

Quer saber muito mais sobre Cachaça?

Esperamos que as dicas acima possam te ajudar a pegar a estrada e se divertir em um ótimo Festival de Cachaça.

E para quem quer saber mais, segue uma dica imperdível.

Nosso livro: os Segredos da Cachaça.

Nele, você vai descobrir tudo que a Indústria dos outros destilados não quer que você saiba.

Mas nós queremos!